'O maior sonho deles era que me formasse', diz filha que perdeu pais em acidente após formatura em Passo Fundo
Caminhonete onde estavam Jairo e Ilse Soranzo foi atingida por caminhão na ERS-324 no sábado (14). Natália iria se encontrar com eles em uma churrascaria, após a cerimônia.
Publicado em 16 de agosto de 2021
Compartilhar
A- A A+

A filha do casal que morreu minutos após a cerimônia de formatura dela, em Passo Fundo, no Norte do Rio Grande do Sul, falou ao G1 sobre o acidente de trânsito ocorrido no sábado (14). Segundo a engenheira civil Natália Soranzo, o maior desejo dos pais era que ela concluísse a graduação.

"Meus pais eram agricultores e o maior sonho deles era que me formasse", conta a jovem.

Jairo e Ilse Soranzo, ambos de 49 anos, deixavam a cerimônia de formatura, quando uma carreta atingiu a lateral da caminhonete da família na ERS-324. Eles seguiam para uma churrascaria, onde seria realizada a festa em homenagem à formanda.

A engenheira ainda lembra quais foram as últimas palavras ditas aos pais, antes de seguir em direção à churrascaria – encontro que não aconteceu, em razão do acidente.

"Me sinto feliz pois, na hora que entreguei as rosas, falei 'mãe eu te amo muito', 'pai eu te amo muito'. Peguei na mão dos dois e falei 'obrigada por tudo, minhas vidas'. Foram as últimas palavras que falei diretamente a eles antes da morte", recorda.

O irmão de Natália, Wilian, de 16 anos, também estava no carro e ficou ferido. Segundo a jovem, ele sofreu uma fratura no maxilar, mas passa bem.

Caminhonete da família foi atingida por carreta na ERS-324, em Passo Fundo — Foto: Bruno Reinehr/Rádio Planalto

Caminhonete da família foi atingida por carreta na ERS-324, em Passo Fundo — Foto: Bruno Reinehr/Rádio Planalto

Natália relata que, após ficar sabendo do acidente, chegou a se sentir culpada pela ocorrência envolvendo os pais e o irmão.

"Por vezes me senti culpada por ter feito a colação [de grau], queria achar uma explicação e pensei em mil possibilidades de ter sido diferente. Agora mais calma, me sinto em parte realizada por realizar um sonho deles, pois a felicidade deles era a minha felicidade, mas queria poder ter mais tempo com eles pra poder retribuir um pouco mais tudo o que fizeram por mim", conta.

Natália, que também é modelo, tem mais de 100 mil seguidores em uma rede social. Ela conta ter recebido milhares de mensagens de apoio, inclusive de pessoas que nem conhece.

"Estou com mais de 8 mil mensagens, muitas de pessoas desconhecidas, muito solidárias e de muita empatia. Eu agradeço mesmo, de coração. Queria poder agradecer de um a um, são pessoas de muita luz, não tenho palavras pra agradecer todo apoio e carinho que estou recebendo", afirma.

A família residia em Liberato Salzano, a 123 km de Passo Fundo. Tanto Ilse quanto Jairo foram velados e sepultados na cidade, neste domingo (15).





Fonte: G1 RS
Fotos
Comentários